Carreira Artística|ab initio

A revelação pública dos seus trabalhos de pintura tem início no último quinquénio do séc. XX, na Galeria Tribuna Pacense (1995/1996), distante, à época, da antevisão duma carreira extensa e intensa que viria a emergir da porfia de espaços expositivos periféricos e institucionais, para bienais nacionais e feiras internacionais, explorando sinergias com a arquitectura interior, ligada à inovação do design de mobiliário (de equipamento clássico e de vanguarda), vindo a introduzir no seu trabalho de pesquisa experimental, exercícios inovatórios e mixages originais, integrantes de ‘objets trouvés’ e materiais recuperados. Após a iniciação no Desenho, explorou a Pintura (desde a aguarela ao gouache, ensaiando o óleo e os acrílicos) fixando-se nas Técnicas-Mistas para o desenvolvimento dos seus Artefactos – Picturais e Escul- tóricos – associados à Collage e à Assemblage. Foram determinantes os incentivos que se sucederam ao seu encontro com o grande Mestre que foi Artur Bual1 . Consolidaria o seu relacionamento com Mestre Carlos Lança2 que, mais de perto, o acompanhou, vindo a conviver com os Mestres Jaime Isidoro3 e Mário Silva4 , além de professores de desenho, pintura e escultura, como Jaime Silva5 , José Rodrigues6 , Abreu Pessegueiro7 (pintor e arquitecto), Henrique do Vale8 , João Duarte9 , Henrique Silva10, Zulmiro de Carvalho11, Joaquim M. Lima Carvalho12, além de críticos de arte, curadores, coleccionadores e raros marchands, em alguns meios culturais, portugueses e estrangeiros.